Pleno Emprego – Fatores de Produção, Mercado e Principais Desafios


Pleno emprego

Pleno Emprego é um dos termos mais utilizados pelos economistas e refere-se à utilização total dos fatores de produção que são: recursos naturais, trabalho (mão de obra) e capital. Para compreender como tudo isso interage para a prosperidade de uma nação, confira nosso post.

O Pleno Emprego e os fatores de produção

Recursos naturais

Tratam-se daqueles recursos oferecidos pela natureza e empregados na elaboração dos mais diversos tipos de produtos, sendo esses recursos classificados como renováveis e não renováveis.

Publicidade

Exemplos de recursos naturais renováveis: água, vento, luz solar.

Exemplos de recursos naturais não renováveis: petróleo, ouro, ferro.

Todos os recursos naturais são utilizados como matéria-prima pelas indústrias de inúmeros segmentos (alimentícia, têxtil, automobilística, construção etc.).


📢 Você sonha em montar um negócio próprio mas não sabe por onde começar? Clique Aqui e leia o passo-a-passo para criar um negócio lucrativo, sem arriscar seu dinheiro dando um tiro no escuro!

Trabalho (mão de obra)

Esse fator de produção diz respeito à população economicamente ativa, determinando a capacidade de um país em transformar matéria-prima (recursos naturais) em produtos acabados.

Além de essa mão de obra ser considerada com base nas atividades relacionadas à indústria (produtos), ela é válida também no setor de serviços no qual o que predomina é o conhecimento, informação e domínio de técnicas.

Capital

Também chamado de bens de produção, o capital não se trata de somatórias de dinheiro, mas refere-se ao conjunto de estruturas materiais que viabilizam a produção. Exemplos: máquinas/equipamentos (industriais, de informática e telecomunicações), prédios e instalações, meios de transporte etc.

Como se define o Pleno Emprego na economia?

O Pleno Emprego seria o cenário econômico perfeito de um país, ou seja, quando todos os fatores de produção encontram-se no ponto de equilíbrio entre oferta e demanda. Entretanto, os economistas mencionam que é praticamente impossível alcançar essa realidade, já que as variações econômicas são frequentes e bastante delicadas à mínima variação dos fatores de produção.

O Pleno Emprego e o mercado de trabalho

Pleno emprego

Publicidade

Quando utilizamos o termo Pleno Emprego com relação ao mercado de trabalho, ele não significa 0% de índice de desemprego, mas sim, que há disponibilidade de vagas para todas as pessoas que estão à procura de emprego. De forma geral, o governo consegue estimular a geração de vagas no mercado de trabalho por meio das seguintes estratégias:

  • Criação de condições adequadas para que as empresas cresçam e possam contratar mais pessoas;
  • Investimentos em obras na infraestrutura do país, empregando mão de obra em grande escala.

Quando os fatores de produção estão empregados ao máximo, naturalmente ocorre maior oferta de vagas no mercado de trabalho, favorecendo o emprego da população ativa e a economia como um todo.

Fatores que dificultam o Pleno Emprego

Quando falamos de uma nação, são vários os fatores que dificultam o crescimento econômico. São eles:

Precariedade da infraestrutura

As péssimas condições nas rodovias acarretam graves prejuízos para as empresas. Um estudo realizado pelo Decomtec – Departamento de Competitividade de Tecnologia da Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo ‒revelou que as empresas tiveram uma despesa anual extra de cerca de 17 bilhões de reais devido à precariedade das estradas brasileiras.

As más condições nas estradas geram maiores custos com logística, manutenção de frota e combustíveis. Outro problema relacionado à infraestrutura são as altas tarifas de energia elétrica que pesam bastante no orçamento anual das indústrias.

Carga tributária excessiva

Não é novidade que o Brasil é um dos países com maior carga tributária do mundo. Esse excesso de impostos sobre produtos e serviços dificultam bastante o crescimento das empresas e reduzem o poder de compra do consumidor, fazendo com que a economia seja constantemente prejudicada.

Falta de mão de obra especializada

Outro fator que dificulta o Pleno Emprego consiste na falta de mão de obra especializada, sobretudo no que diz respeito às indústrias. Não é por acaso que uma das principais dificuldades das empresas é encontrar pessoas qualificadas para funções específicas.

Altos níveis de burocracia

Sem sombra de dúvida, o excesso de burocracia é um dos principais entraves ao desenvolvimento econômico, já que isso engessa empresas e cidadãos que poderiam progredir de forma mais rápida.

Baixa capacidade de investimentos públicos e privados

A capacidade de investimento é primordial para o desenvolvimento econômico. Isso está relacionado ao aperfeiçoamento tecnológico, compra de máquinas e equipamentos etc. Quando o setor público ou privado não consegue realizar tais investimentos com certa regularidade, em pouco tempo a economia começa a sentir os efeitos prejudiciais.

Com todas essas informações, fica fácil compreender o conceito de Pleno Emprego e como ele está associado ao desenvolvimento econômico de um país.

Imagens: sindicatohrbs.com.br / diariodamanhapelotas.com.br

 


👉 Qual a melhor ideia de negócio PARA VOCÊ?

Na internet existem milhares de informações sobre ideias e modelos de negócio. Mas afinal, qual a ideia de negócio ideal para você? Será que sua ideia é lucrativa? Nesse ARTIGO (clique aqui) mostramos para você como descobrir isso hoje mesmo. Se você quer montar um negócio 100% próprio com baixo risco, CLIQUE AQUI e veja o passo-a-passo para se tornar seu próprio chefe.