Capital de Giro – O Que é e Como Calcular?


capital-de-giro-o-que-e-e-como-calcular

 

Um dos grandes desafios enfrentados pelos empresários é obter recursos suficientes com a finalidade de manter um bom capital de giro para que o negócio não corra o risco de se tornar inviável.

Publicidade

Para saber exatamente o que é este capital e como fazer para calculá-lo, basta conferir nosso post!

Afinal, o que é capital de giro?

Esse capital diz respeito ao valor necessário para que a empresa possa custear o início e continuidade das atividades do negócio.

Esse tipo de capital deve ser utilizado para: Financiamento aos clientes (vendas a prazo), valores para manter estoques, pagamento de fornecedores, folha de pagamento dos funcionários, aluguéis etc.

Resumindo, esse capital faz com que a empresa se mantenha operante sem que para isso seja necessário recorrer a empréstimos bancários ou outros tipos de aporte de dinheiro.

Em números, o capital em questão pode ser entendido como a diferença entre o dinheiro que a empresa tem disponível e o dinheiro que ela deve.

Como calcular esse capital?

De forma geral, a fórmula mais utilizada para o cálculo desse capital é CGL= AC-PC. AC significa o ativo circulante (dinheiro disponível no caixa da empresa, nos bancos, juros recebidos sobre investimentos, aplicações financeiras etc). PC diz respeito ao passivo circulante (contas a pagar, fornecedores, folha de pagamento, empréstimos etc).

A diferença entre esses valores diz respeito ao valor de capital de giro, ou seja, aquele disponível para que a empresa continue viabilizando suas atividades.

Consequências da falta de capital de giro

Conforme mencionado anteriormente, a ausência deste capital pode acarretar sérios problemas para a empresa a curto, médio e longo prazo, entre eles:

– Atraso quanto ao pagamento de fornecedores;

– Despesas com juros por atraso de pagamentos;

– Riscos quanto à falta de matéria-prima e demais insumos utilizados na produção;

– Falta de recursos para investimento em máquinas e equipamentos;

– Atraso quanto ao pagamento de salários e encargos sociais, podendo acarretar sérios problemas de ordem trabalhista.

Como é possível perceber, a ausência desse capital quando não solucionada em tempo hábil pode chegar a provocar a falência. Por isso, é necessário agir rapidamente.

Como agir diante da falta de capital?

Para que seja possível solucionar ou amenizar os problemas quanto ao capital que viabiliza a continuidade das atividades do negócio, é indispensável injetar dinheiro no caixa da empresa o mais rápido possível.

Isso pode ser feito por meio da venda de algum bem pessoal dos sócios, como um imóvel ou um carro, por exemplo. Esta é uma das melhores alternativas, já que não há ocorrência de juros.

Outra maneira de obter recursos financeiros de forma rápida é recorrer a empréstimos bancários.

Ao escolher esta opção, é de suma importância que o empresário pesquise sobre instituições financeiras que ofereçam menores juros e melhores condições de taxas e pagamentos para empresas.

Com todas essas informações, fica evidente como é importante que os empresários estejam sempre muito atentos com relação à disponibilidade de capital de giro da empresa.

Imagem- administradores.com.br

Publicidade