O Monge e o Executivo – Os Ensinamentos: Resumo | Resenha do Livro


O título parece um pouco antagônico, mas o livro O Monge e o Executivo, escrito por James C. Hunter, ficou por bastante tempo na lista entre os mais vendidos no Brasil, ocupando até hoje um lugar de destaque quanto às obras que abordam preciosas lições de liderança.

Para saber um pouco mais a respeito dos motivos que fizeram deste título um grande sucesso mundial, iremos abordar os principais aspectos mencionados na obra, que certamente poderão ajudar as pessoas que ocupam ou desejam ocupar posições de liderança. Confira!

Publicidade

Enredo da história

A história do livro O Monge e o Executivo se passa em um mosteiro, onde o gerente de uma fábrica de vidro, chamado John Daily, ao passar por um momento de crise profissional decide permanecer um período no mosteiro com o intuito de descansar e ressignificar sua maneira de liderar.

Dentro do mosteiro, John e um pequeno grupo de pessoas passam a ter aulas de liderança com um mestre apelidado de “Simeão”, onde são apresentados conceitos bem diferentes daqueles até então aplicados no mundo corporativo.

No decorrer da história, vem à tona a real identidade de “Simeão”, que na realidade é Leonard Hoffman, que anteriormente havia sido um dos líderes executivos mais brilhantes e admirados do país, sendo responsável pela milagrosa recuperação da empresa Southeast Air.

Resumo: Lições de “O Monge e o Executivo”

o-monge-e-o-executivo_2

No que diz respeito ao impacto que a obra teve no mundo corporativo, embora ela tenha sido bastante utilizada para reformular as estratégias de liderança nas empresas, o livro também recebeu muitas críticas por abordar o que o próprio autor define como uma liderança de servidão, ou seja, quando o líder se dispõe a atuar como um servidor das pessoas por ele lideradas.

Fundamentalmente, as grandes lições trazidas pelo livro O Monge e o Executivo, dizem respeito a:

Saber ouvir

De acordo com a obra, saber ouvir é uma das principais habilidades a serem desenvolvidas por um líder, já que a partir disso as pessoas se sentem mais confiantes, participativas, produtivas e porque não, estimadas pelo líder e pela empresa.

Ser um bom exemplo

De acordo com as lições oferecidas no decorrer da história, é imprescindível que o líder seja tudo aquilo que ele fala. A razão disso é que nada pode gerar mais descrédito diante de uma equipe que o líder ser incoerente com aquilo que solicita aos demais.

Isso também envolve ter uma postura honesta e confiável para consigo mesmo e com todos ao redor, gerando muito mais credibilidade.

Se importar com as pessoas

Na abordagem adotada no decorrer da história, uma das lições mais ensinadas fala sobre a importância de o líder se importar verdadeiramente com as pessoas.

Isso não significa absorver problemas e conflitos pessoais dos membros da equipe, mas sim, valorizar as pessoas, buscar compreender determinados conflitos internos e buscar ajuda-las dentro das possibilidades.

Boas intenções não bastam

De acordo com os ensinamentos trazidos pelo livro O Monge e o Executivo, um líder não deve apenas possuir boas intenções, é preciso agir e fazer com que as pessoas façam o mesmo.

Ter autoridade e influência

Por mais que o líder deva ter uma postura de servidor, ele jamais deverá abrir mão do senso de autoridade e influência.

Por autoridade, deve ser entendido o poder concedido, a firmeza nas decisões e nas ações etc. Já a influência são aqueles aspectos mais subjetivos da liderança, quando o comportamento, atitude e até mesmo a própria personalidade do líder influencia as pessoas.

Ser humilde

A virtude da humildade também a bastante presente no livro. Muitos entendem esta palavra de forma equivocada, mas acima de tudo, ela busca mencionar que o líder jamais deverá se deixar levar pelo seu orgulho no sentido de se tornar arrogante para com as outras pessoas. Sem sombra de dúvidas, arrogância não combina com uma legítima liderança.

Buscar o autoconhecimento

Não poderíamos finalizar esse resumo sem um dos maiores ensinamentos da obra. O livro revela a enorme importância de os líderes buscarem e cultivarem um processo de autoconhecimento, procurando identificar na personalidade suas reais potencialidades e fraquezas, desejando incessantemente tornar-se um ser humano melhor.

Com esta abordagem tão diferente da excessiva competição adotada no meio corporativo, fica fácil identificar porque o livro O Monge e o Executivo se tornou um dos mais vendidos do mundo.

Caso tenha gostado do resumo / resenha do livro, você vai aproveitar a leitura!

Imagem: ephemerajpp.com

 

Publicidade