10 Dicas de Como Administrar e Juntar Dinheiro


juntar-dinheiro

Ter dinheiro constantemente é o sonho de muitos brasileiros. Mas além de ter mais dinheiro, uma das preocupações em tempos de crise é saber administrá-lo. Você sabe como administrar as suas finanças? Tem conhecimento sobre as suas entradas e saídas? E como fazer para dar conta das dívidas e ainda ganhar mais – você sabe como fazer? Veja abaixo algumas dicas de como administrar o seu dinheiro e encarar a crise com mais tranquilidade!

A importância de administrar o seu dinheiro

Toda pessoa tem suas despesas. Viver implica em se vestir, se alimentar, se transportar, cuidar da saúde e da educação, além de outros eventuais gastos e responsabilidades. Um dos motivos que leva as pessoas a trabalharem – seja em um emprego formal ou empreendendo – são as suas necessidades e gastos pessoais.

Desta forma, precisa ter coerência entre aquilo que se ganha e aquilo que se gasta. São as boas práticas de administração ou gestão financeira que ajudam a criar harmonia nesta relação de entradas e saídas e é o que permite que metas e sonhos possam também serem alcançados.

Publicidade

 

Boas práticas para Administrar e Junta o Dinheiro

Vejamos algumas boas práticas para gerir melhor as suas finanças e enfrentar a crise com melhores condições:

Organização

Verifique quais os seus ganhos no mês (salários, rendas extras, pensões, etc.). Some tudo o que você ganha. Relacione ainda todos os seus gastos fixos (transporte, energia elétrica, aluguel, financiamento, etc.). Some ainda as contas esporádicas de cada mês (aquelas que não são fixas). É o primeiro passo para conhecer a sua realidade financeira.

Documentação

Todos os dados conseguidos na análise anterior devem ser compilados em uma planilha ou caderno, como preferir. Registre tudo o que for entrada ou saída para ter um controle maior de sua vida financeira. Se preferir, guarde as contas pagas, recibos, boletos quitados e tudo mais em uma pasta.

Tenha metas

Saiba o que quer e onde quer chegar e em que isso afeta a sua vida financeira. Sabendo a sua real situação, poderá definir metas de longo, médio e curtos prazos. Desta forma, poderá também definir ações para conquistar os seus objetivos.

Sobre estas definições, tenha metas semanais – é mais fácil atingir objetivos menores que formam maiores aos poucos do que se desesperar em tentar atingir metas irreais, do dia para a noite. Crie um cronograma assertivo e coloque em prática as suas ações.

Publicidade

Quite as suas dívidas

É importante começar pelas ações mais urgentes, como as dívidas ativas. Crie uma estratégia para cobrir as suas dívidas o quanto antes e comece por aquelas que são maiores ou implicam em juros maiores.

Talvez seja difícil pagar tudo de uma vez, mas você pode criar prioridades. Como irá pagá-las? Irá usar seu salário ou terá que fazer uma renda extra? Irá parcelar? Busque verificar quais os recursos que possui e o que pode fazer com aquilo que tem ao seu alcance. É difícil economizar tendo dívidas ativas.

Economize

Guarde de 10% a 30% de tudo que ganhar e invista no futuro. Crie reservas. Verifique o que o mercado tem de bom em termos de investimentos – de tempos em tempos, há investimentos melhores que outros e cabe pesquisar bem antes de investir – tesouro direto, poupança, previdência privada, etc. Mesmo em tempos ruins, é muito importante fazer reservas – e de preferência, não se coloca todos os ovos em um só cesto.

Verifique a porcentagem separada para as reservas antes mesmo de ter ideias com que gastá-la. É assim que se constrói um patrimônio de modo saudável. Caso tenha privações, esforce-se para ser criativo e se satisfazer com o que tem sem usar esta porcentagem. Se ganha R$ 5 mil por mês, separe pelo menos R$ 500,00 e invista – não deixe o dinheiro parado.

como-administrar-meu-dinheiro


Reinvista todo rendimento de seus investimentos

Um investimento rende juros e também é um tipo de renda. E tudo que conseguir com juros e taxas sobre os seus investimentos, invista ainda mais. A ideia é mesmo criar um patrimônio. Isso é riqueza. De que adianta tantas horas de trabalho, um bom salário ou ótimo lucro do seu negócio se no fim do ano não conseguiu guardar nada?

Reveja as suas reais prioridades na vida e compreenda melhor os seus processos de autossabotagem, por exemplo – aquilo que o faz errar com seu dinheiro.

Fuja dos juros

Em tempos de crise, os juros são bem altos para tudo – de financiamentos às taxas de cartão de crédito. Não faça financiamentos e parcelamentos com poucas parcelas e juros altos e nem pague o mínimo do cartão de crédito. Falando em cartão de crédito, só use em emergências e contas planejadas.

Não empreste dinheiro

É claro que há emergência em que é preciso emprestar dinheiro para pessoas próximas que realmente precisam ou que podem devolver o valor. Mas todos os outros casos, talvez não seja interessante emprestar em um momento de crise. Mantenha em segredo a sua vida financeira.

Administra seu dinheiro pensando em sua vida

Você não tem que provar nada a ninguém, não precisa ostentar nem deve viver fora das suas possibilidades. Muitas pessoas vivem em função da opinião alheia e acabam gastando sem pensar direito nas consequências. Se quer ter riquezas, não ostente nem gaste mais do que ganha. Viva a vida conforme as suas possibilidades!

Você tem uma nova oportunidade todos os dias! Hoje mesmo você pode rever sua vida financeira e fazer escolhas mais saudáveis. É no presente que as atitudes fazem sentido e que você constrói sua fortuna futura. A crise não é tão impactante na sua vida financeira do que suas próprias escolhas diante dela. Lembre-se disso!

Leia também:

Renda Extra – Ideias para lucrar em Casa

Negócios Lucrativos – 9 ideias de pequenos negócios

O que Vender para Ganhar Dinheiro?

Roupas para Revender – Onde Comprar?

 

Publicidade